Passagens Online

Dicas e dúvidas

Dispense o uso de roupas formais, escolha trajes leves e simples.

Se usar algum medicamento, deve levá-lo na viagem e deixar sempre em lugar de fácil acesso.

Antes de viajar, procure saber sobre o clima do lugar de destino, assim é possível programar melhor a viagem.

Evite conversar com o motorista durante a viagem.

Fique atento a sua segurança: documentos pessoais devem ser bem guardados na bagagem de mão.

Aparelhos de som precisam ser evitados, a menos que possuem fone de ouvido.

Sempre que possível, adquira sua passagem com antecedência, principalmente se for nas férias ou feriados prolongados.

Como pode ser adquirida a passagem rodoviária?

A passagem pode ser comprada nos guichęs rodoviários, nas agências conveniadas ou pela internet no site www.brasilsul.com.br

Obs: Nosso portal de vendas online poderá fazer o cancelamento de passagens após a autorização da compra caso os dados do comprador sejam inválidos, falsos ou haja qualquer suspeita de fraude. 

Quem tem direito a isenção do pagamento da tarifa no serviço rodoviário?

Crianças menores de 6 anos, desde que acomodadas na mesma poltrona do responsável. Portadores de necessidades especiais, desde que apresentem a documentaçăo necessária (carteirinha de DER e/ou carteirinha do passe livre do governo federal) e idosos a partir de 60 anos completos, com renda igual ou inferior a dois salários mínimos, nas viagens de linhas interestaduais. 

Qual quantidade de bagagem poderá ser transportada por passageiro?

Cada passagem emitida dará direito ao transporte gratuito o máximo de 30 kg divididos em até dois volumes a serem acondicionados no bagageiro, acrescido de um volume de măo de até 5 kg para ser transportado no interior do carro, estando todos devidamente etiquetados. 

Quais os documentos necessários para embarque de adultos?

Todo passageiro tem obrigaçăo de apresentar um dos seus seguintes documentos de identificaçăo oficial para proceder ao embarque: Passaporte Nacional, Carteira de Identidade, Carteira Nacional de Habilitaçăo, Carteira de Trabalho, em caso de furto ou extravio do documento, poderá ser aceito o Boletim de Ocorręncia (BO), desde que tenha sido emitido há menos de 20 dias da data de sua lavradura. 

Como o passageiro poderá reivindicar seus direitos, fazer reclamações e/ou sugestões ou buscar outros tipos de atendimento por parte da empresa?

Caso se sinta prejudicado ou queira fazer uma sugestăo para a melhoria dos serviços prestados pela empresa, o passageiro poderá se dirigir a qualquer um dos atendentes do guichę rodoviário que o conduzirăo até seu superior encarregado. Outros canais săo: site da empresa www.brasilsul.com.br , Central de atendimento, no fone 0800 4007090 (atendimento 24 horas ou e-mail - contato@viacaogarcia.com. 

O que é proibido transportar?

Produtos químicos, automotivos, e algum tipo de eletrodoméstico.

Crianças menores de 16 anos podem viajar desacompanhadas de seus responsáveis?

De acordo estatuto da criança e do adolescente, Lei nş 8.069/90 de 18/03/2019, art 83, năo é permitida que crianças abaixo de 16 anos viajem desacompanhadas de seus responsáveis.

Posso viajar com meu animal de estimação ?

 

O animal poderá viajar  em caixa de transporte apropriada, e o dono deverá pagar uma passagem extra para acomodá-lo ao seu lado. Para a segurança do bichinho, é necessário seguir as normas abaixo:

  • Serão transportados animais de pequeno porte, com até 7 Kg.
  • A Brasil Sul permite o embarque de apenas 01 (um) animal por passageiro, e até 02 (dois) animais por horario.
  • Por segurança dos gatos e cachorros, algumas raças (braquicefálicos) só podem viajar mediante termo de responsabilidade, assinado pelo dono do animal, que assuma os riscos que ameacem o animal durante a viagem.
  • Raças caninas que só viajam mediante termo de responsabilidade do proprietário: Buldogue Americano (American Bully), Boston Terrier, Boxer, Griffon de Bruxelas, Pug Chinês, Chow Chow, Pug Holandês, Pug, Pequinês, Buldogue Inglês, Cavalier King Charles Spaniel, Buldogue Francês, Dogue de Bordeaux, Lhasa Apso, Shih tzu e Shar Pei.
  • Raças felinas:  Burmês, Himalaio, Persa e Exotic Shorthair.
  • O animal deverá ser transportado no interior do ônibus, dentro de caixa de transporte própria para viagem, utilizando uma poltrona ao lado do dono, portanto, deverá ser cobrada a tarifa integral da mesma.
  • O animal deverá permanecer dentro da caixa de  transporte durante todo o percurso. A caixa deve estar devidamente forrada com tapete higiênico que absorva as fezes e urina do animal durante o transporte.
  • Deverá ser sedado necessariamente.
  • O dono do animal deverá presentar atestado do médico veterinário que confirme a sanidade do animal e que o mesmo poderá ser transportado sem risco. O atestado deverá ter sido emitido há no máximo 10 dias antes de viajar. Caso a viajem ultrapasse esse tempo, será necessário providenciar outro atestado no local de destino.
  • Apresentar carteira de vacinação para animais a partir de 3 meses de idade, sendo que a última vacina deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e há menos de 1 ano.
  • Os animais não podem viajar com as patas atadas ou outro método que produza sofrimento ou stress.
  • A empresa poderá embarcar até 2 animais por horário, salvo exceções que deverão ser consultadas com a central de atendimento.

Como funciona o Check-in Digital ?

Na compra de passagens pela internet (Site oficial ou Aplicativo), o cliente pode usufruir do serviço Check-in digital, que consiste no embarque imediato do cliente sem a necessidade de retirar antecipadamente a passagem no guichê da rodoviária. Quando efetua a compra pela internet ou APP, o cliente recebe por e-mail um número de voucher, que pode ser acessado pelo celular, tablet ou computador. De posse deste número e de um documento de identificação com foto, basta que o mesmo se dirija diretamente à plataforma de embarque – sem passar pelo guichê ou precisar imprimir a passagem, onde um colaborador da empresa realiza o procedimento de embarque. Desta forma a empresa busca melhorar o serviço prestado ao cliente digital, atingindo assim a excelência em seu embarque. Comprou, Embarcou é rápido e prático.

Gratuidade para 3ª idade: Como funciona?

Entrou em vigor no dia 25 de Outubro de 2006, o transporte interestadual gratuito para idosos que ganham até dois salários mínimos. Foi publicado no Diário Oficial da União, a resolução n°1692/06, que estabelece mecanismo e critérios de aplicação do disposto no art. 40 da Lei 10.741(Estatuto do Idoso), de 1° de Outubro de 2003. A Resolução determina que, terão direito ao transporte, idosos:

Idosos com idade igual a 60 anos ou mais; Serão cedidas duas vagas em cada veículo de serviço convencional de
transporte rodoviário interestadual de passageiros, em linhas regulares, com ou sem sanitários; O beneficio deverá ser garantido em todos os horários; O idoso deverá solicitar um único “Bilhete de Viagem do Idoso”, nos pontos de vendas próprios da permissionária, com antecedência mínima de 3 horas em relação ao horário de partida do ponto inicial da linha, podendo solicitara emissão do bilhete de viagem de retorno; No dia da viagem, o idoso deverá comparecer ao terminal até 30 minutos antes da hora do embarque; O “Bilhete de Viagem do Idoso” e o bilhete com desconto do valor da passagem são intransferíveis; Além das duas vagas previstas, a empresa prestadora do serviço deverá conceder aos idosos, o desconto mínimo de 50% do valor das passagens para os demais assentos do veículos; Para fazer jus ao desconto acima, o idoso deve adquirir o bilhete obedecendo os seguintes prazos: para viagens com distância de até 500 km, com, no máximo, 6 horas de antecedência ; e para viagens com distancia acima de 500 km, com, no máximo;
No ato da solicitação do Bilhete, ou do desconto do valor da passagem, o idoso deverá apresentar documento pessoal (original) que comprove idade mínima de 60 anos e renda igual ou inferior a dois salários mínimos (Carteira de Trabalho; contra-cheque; extrato de pagamento do benefício; documento ou carteira emitida pelas Secretarias Estaduais ou Municipais de Assistência Social ou congêneres); Não estão incluídas no benefício as tarifas de pedágio e de utilização de terminais.

Obs: Benefício disponível apenas para compras nos pontos de vendas FÍSICOS. Não válido para compras online.

Passe Livre Estadual - PR

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ,
NO USO DAS ATRIBUIÇÕES QUE LHE CONFERE O ART. 87, INCISOS V E VI DA CONSTITUIÇÃO ESTADUAL, TENDO EM
VISTA O DISPOSTO NAS LEIS N° 13.120/2001 E N° 15.051/2006,

DECRETA
Art. 1°. Fica regulamentado pelo presente Decreto o transporte gratuito nas linhas comuns do transporte intermunicipal depassageiros aos portadores de deficiência, de que trata a Lei Estadual nº 11.911/97.Parágrafo único. A gratuidade aqui regulamentada se estende também às linhas de ônibus que compõem as redes integradas
de transporte coletivo de regiões metropolitanas.

Art. 2°. O benefício da gratuidade aqui regulado é garantido, nos termos da Lei 15.051/2006, aos portadores das seguintes patologias crônicas:
I - insuficiência renal crônica, em terapia renal substitutiva;
II - câncer, em tratamento de quimioterapia ou radioterapia;
III - transtornos mentais graves, em tratamento continuado, em serviços-dia (Hospital-dia, Núcleo de Atenção Psicossocial, Escolas de Educação Especial que atendem condutas típicas, Serviços Residenciais Terapêuticos e Oficinas Terapêuticas);
IV - portadores de HIV, em tratamento continuado em serviço-dia;
V - mucoviscidose, em atendimento continuado;
VI - hemofilia, em tratamento;
VII - esclerose múltipla, em tratamento.

Art. 3°. A concessão da isenção à pessoa com deficiência ou com patologia crônica, mediante expedição de carteira específica, será concedida pelo Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, após análise do órgão gestor de políticas de assistência social do município, e da avaliação médica realizada na unidade de saúde do domicílio do interessado. (Redação dada pelo Decreto 6179 de 02/02/2010)
Parágrafo único. A Secretaria de Estado dos Transportes confeccionará a Carteira de Isenção, mediante solicitação do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência. (Incluído pelo Decreto 6179 de 02/02/2010)

Art. 4°. Para a expedição da carteira a que se refere o artigo anterior, são necessários:
I - requerimento em formulário dirigido ao Conselho ou entidade pelo interessado, procurador ou representante legal (pai, mãe, tutor ou curador);
II - laudo de avaliação fornecido por profissional habilitado do Sistema Único de Saúde, da Secretaria de Estado da Saúde ou do Município, com identificação, informação sobre a deficiência ou patologia, informação sobre a necessidade de acompanhante e de eventual nova avaliação;
III - declaração de carência de recursos financeiros pelo interessado, procurador ou representante legal, no sentido da renda mensal per capita ser igual ou inferior a 1,5 salário mínimo nacional, juntando comprovante de rendimentos e avaliação sócio-econômica fornecida pelo serviço social do município de domicílio.
§ 1°. Nos casos de deficiência aparente, fica dispensado o laudo previsto no inciso II deste artigo.
§ 2°. Na hipótese do interessado não ser alfabetizado ou estar impossibilitado de assinar, será admitida a impressão digital na presença do funcionário do órgão autorizador que fará a identificação, ou a assinatura a rogo, na presença de duas testemunhas.
§ 3°. A falsa declaração ou comprovação de renda mensal sujeitará o infrator às penas da Lei, bem como a perda do benefício.
§ 4°. A carteira que dará direito à gratuidade terá validade mínima de doze meses.

Art. 5°. Na carteira concedida ao beneficiário deverá constar:
I - dados de identificação e foto do portador;
II - informação sobre a deficiência;
III - necessidade ou não de acompanhante;
IV - data de expedição e data de validade.

Art. 6°. A isenção de tarifa de que trata este Decreto é válida também para o acompanhante, desde que comprovada a
necessidade. (Redação dada pelo Decreto 6179 de 02/02/2010)

Art. 7°. A Secretaria de Estado dos Transportes se encarregará de enviar a
respectiva carteira ao endereço do beneficiário, na medida que a mesma
for confeccionada. (Redação dada pelo Decreto 6179 de 02/02/2010)
I - dados de identificação e foto do acompanhante;
II - dados de identificação do portador;
III - data de expedição e data de validade.

Art. 8°. O Secretário de Estado da Saúde, mediante Resolução, definirá as unidades médicas da Pasta capacitadas a
realizar avaliação e o modelo do laudo a ser expedido.
Parágrafo único. Todas as unidades médicas que realizarem a avaliação no âmbito estadual ou municipal deverão adotar o modelo do laudo de que trata o caput deste artigo.

Art. 9°. As Secretarias de Saúde do Estado e dos Municípios deverão dar ampla divulgação dos locais para avaliação e os Conselhos Municipais e entidades a que se refere o artigo 3º deste Decreto deverão também divulgar os locais para
expedição das carteiras e procedimentos adotados para tal fim.

Art. 10º. Os interessados no benefício de que trata este Decreto deverão promover a reserva da passagem com
antecedência mínima de vinte e quatro horas do embarque, nos casos de linhas de transporte coletivo intermunicipal.

Art. 11º. As empresas concessionárias ou permissionárias deverão emitir o bilhete de passagem no ato da apresentação da carteira e documento de identificação.
§ 1°. Na emissão do bilhete de passagem para o transporte gratuito não poderão ser cobradas taxas referentes ao uso de balsas, ferry-boats, de embarque ou de pedágio e não será comissionado.
§ 2°. As empresas prestadoras dos serviços deverão reservar no mínimo 2 (dois) assentos em cada viagem,
preferencialmente na primeira fila de poltronas para conferir acessibilidade aos portadores de deficiência até uma hora
antes do embarque.
§ 3°. Na hipótese de nenhum beneficiário demonstrar interesse em viajar, após o prazo previsto no artigo 10, as empresas prestadoras dos serviços poderão colocar à venda os bilhetes de referidos assentos reservados.
§ 4°. Os funcionários das empresas transportadoras deverão auxiliar no embarque e desembarque dos beneficiários, tantos nos terminais das linhas como nos pontos de parada e apoio ao longo do itinerário.
§ 5°. As empresas transportadoras providenciarão a capacitação de seu quadro funcional para prestar o atendimento
adequado aos beneficiários.
§ 6°. Os equipamentos indispensáveis à locomoção e à vida da pessoa portadora de deficiência serão transportados de forma adequada, acessível e gratuitamente pela empresa, além de sua bagagem.
§ 7°. No embarque deverá o beneficiário apresentar a carteira de isenção acompanhada de documento de identificação.

Art. 12º. O uso indevido da isenção de que trata este Decreto acarretará em cancelamento do benefício, sem prejuízo das sanções penais e cíveis cabíveis.

Art. 13º. Compete ao DER/PR e à COMEC a fiscalização da operacionalização do benefício

Art. 14º. O Secretário de Estado dos Transportes, no prazo de 90 (noventa) dias da edição deste Decreto, editará normas complementares definidoras das adaptações a serem feitas nos veículos das frotas das empresas concessionárias ou permissionárias do transporte rodoviário coletivo intermunicipal de passageiros.

Art. 15º. Fica estabelecido o prazo de 60 (sessenta) dias para a conclusão das medidas operacionais e administrativas que se fizerem necessárias à efetiva implantação da isenção de que trata este Decreto.

Art. 16º. Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação. Curitiba, em 15 de maio de 2009, 188º da Independência e 121º da República.

Obs: Benefício disponível apenas para compras nos pontos de vendas FÍSICOS. Não válido para compras online.

Passe Livre Federal

PORTARIA Nº 410, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014
Dá cumprimento ao acórdão proferido na Ação Civil Pública nº 0052380-68.210.4.01.3400/DF, pela
5º Turma do Tribunal Regional Federal da 1º Região

As Empresas
O Passe Livre só será válido em serviço convencional das empresas de transporte coletivo interestadual de passageiros nas modalidades ônibus, trem ou barco, incluindo transportes interestaduais semi-urbanos.
As Vagas
As empresas devem reservar dois assentos por viagem, preferencialmente nos lugares da frente. Caso as passagens não sejam solicitadas até três horas antes da viagem, as duas vagas podem ser vendidas a outros passageiros.
O Controle
O Passe Livre só será concedido a pessoas com deficiência física, mental, auditiva ou visual que sejam comprovadamente carentes. Todo o controle do cadastramento será centralizado pelo Programa Passe Livre.
A Identificação
A solicitação do DAV, mediante apresentação da carteira do Passe Livre, pode ser feita pelo beneficiário ou por pessoa por ele indicada. No ato do embarque, o beneficiário deve apresentar a carteira de Passe Livre junto com um documento de identificação.
A Bagagem
A bagagem da pessoa portadora de deficiência e os equipamentos indispensáveis à sua locomoção devem ser transportados gratuitamente e colocados em lugar adequado e acessível ao usuário.
O Treinamento
As empresas devem orientar todo o seu pessoal sobre o atendimento correto às pessoas portadoras de deficiência. Para isso, estamos enviando em anexo o Manual de Comportamento.
A Penalidade
As empresas que infringirem a Lei 8.899 estão sujeitas a penalidade de multa (de R$ 550,00 a R$ 10.500,00).
Lei 8.899, de 29/06/1994. Decreto 3.691, de 19/12/2000.

CONHEÇA MELHOR O PASSE LIVRE - Beneficiários

Quem tem direito ao Passe Livre?
Pessoa com deficiência física, mental, auditiva, visual ou renal crônica comprovadamente carente.
Quem é considerado carente?
Aquele com renda familiar mensal per capta de até um salário mínimo. Para calcular a renda, faça o seguinte:
- Veja quantos familiares residentes em sua casa recebem salário. Se a família tiver outros rendimentos que não o salário (lucro de atividade agrícola, pensão, aposentadoria, etc.), esses devem ser computados na renda familiar.
- Some todos os valores.
- Divida o resultado pelo número total de familiares, incluindo até mesmo os que não têm renda, desde que morem em sua casa.
- Se o resultado for igual ou abaixo de um salário mínimo, o portador de deficiência será considerado carente.
Quais os documentos necessários para solicitar o Passe Livre?
Cópia de um documento de identificação. Pode ser um dos seguintes:
- Certidão de Nascimento;
- Certidão de Casamento;
- Certificado de Reservista;
- Carteira de Identidade;
- Carteira de Trabalho e Previdência Social;
- Título de Eleitor;
- Carteira Nacional de Habilitação.
- Atestado (laudo) da equipe multiprofissional do Sistema Único de Saúde (SUS), comprovando a deficiência ou incapacidade do interessado.
Requerimento, acompanhado da Declaração da Composição e Renda Familiar.
Como solicitar o Passe Livre?
Fazendo o download dos formulários acima, preenchendo-os. Uma vez preenchidos os formulários originais, assim como uma cópia de um dos documentos de identificação acima relacionados, devem ser enviados ao Ministério dos Transportes no seguinte endereço: Ministério dos Transportes, Caixa Postal 9600 - CEP 70.040-976 - Brasília (DF).

Escrevendo para o endereço, acima citado, informando o seu endereço completo para que o Ministério dos Transportes possa lhe remeter o kit do Passe Livre. Em ambos os casos, as despesas de correio serão por conta do beneficiário.
- Atenção: Não aceite intermediários! Você não paga nada para solicitar o Passe Livre.

Quais os tipos de transporte que aceitam o Passe Livre?
Transporte coletivo interestadual convencional por ônibus, trem ou barco, incluindo o transporte interestadual semi-urbano. O Passe Livre não vale para o transporte urbano ou intermunicipal dentro do mesmo estado, nem para viagens em ônibus executivo e leito.
Como conseguir autorização de viagem nas empresas?
Basta apresentar a carteira do Passe Livre do Governo Federal junto com a carteira de identidade nos pontos-de-venda de passagens, até três horas antes do início da viagem. As empresas são obrigadas a reservar, em cada viagem, dois assentos para atender às pessoas portadoras do Passe Livre.
Se as vagas já estiverem preenchidas, a empresa tem obrigação de reservar a sua passagem em outra data ou horário. Caso você não seja
atendido, procure nos principais terminais rodoviários do país as salas de apoio e fiscalização da Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT, para obter informações ou fazer reclamações, ou ainda, fale com a Ouvidoria através do telefone 166.

O MINISTRO DE ESTADO DOS TRANSPORTES, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição Federal, tendo em vista o disposto na Lei nº 8.899, de 29 de junho de 1994, regulamentada pelo Decreto nº 3.691, de 19 de dezembro de 2000, e observado o disposto na Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, e no Decreto n.º 3.298, de 20 de dezembro de 1999;

Considerando a necessidade de dar cumprimento ao Acórdão proferido na Ação Civil Pública nº 0052380-68.2010.4.01.3400/DF, pela 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, resolve:

Art. 1º. Fica assegurada ao acompanhante do beneficiário do Programa Passe Livre, no sistema de transporte coletivo interestadual de passageiros, nos modais rodoviário, ferroviário e aquaviário, nos termos da competência deste Ministério, a concessão do mesmo benefício, observadas as seguintes condições:
I - comprovação da hipossuficiência financeira do acompanhante, nos termos da Portaria Interministerial nº 3, de 10 de abril de 2001, e da Portaria nº 261, de 3 de dezembro de 2012;
II - comprovação, por laudo médico, da imprescindibilidade da presença do acompanhante para locomoção do beneficiário.

Art. 2º.  Para fins de cumprimento desta portaria, o setor responsável pelo Passe Livre do Ministério dos Transportes deverá adotar os seguintes procedimentos, sem prejuízo de outros que julgar cabíveis:
I - inserir na carteira do beneficiário do Passe Livre a indicação "necessidade de acompanhante";
II - informar no sistema de andamento processual do Passe Livre, a identificação completa do beneficiário que faz jus ao acompanhamento, assim como os dados do seu acompanhante.

Art. 3º. A emissão de bilhete para o acompanhante de que trata este ato, fica condicionada a verificação pela empresa de transporte coletivo interestadual de passageiros, junto ao sistema de andamento processual do Passe Livre, disponível no sítio www.transportes.gov.br, se o acompanhante está cadastrado para recebimento do benefício.
Parágrafo único. Fica dispensada da verificação aludida no caput, os casos de utilização de transporte coletivo interestadual semiurbano, situação em que a empresa deverá checar, no ato de embarque, se na carteira do beneficiário do Passe Livre consta a indicação "necessidade de acompanhante".

Art. 4º. É vedada a viagem de acompanhante sem a presença do beneficiário do programa.

Art. 5º. O acompanhante não poderá ser menor de 18 (dezoito) anos.

Art. 6º. Fica revogada a Portaria nº 72, de 18 de março de 2014.

Obs: Benefício disponível apenas para compras nos pontos de vendas FÍSICOS. Não válido para compras online.

ID JOVEM

O decreto nº 8.537, de 5 de outubro de 2015 regulamenta e estabelece os procedimentos e os critérios para a reserva de vagas a jovens de baixa renda nos veículos do sistema de transporte coletivo interestadual e ônibus com serviço convencional, com esquema operacional aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres – ANTT.

Ao jovem de baixa renda serão reservadas duas vagas gratuitas em veículo do serviço convencional de transporte interestadual de passageiros e duas vagas com desconto de cinquenta por cento, no valor das passagens, a serem utilizadas depois de esgotadas as vagas gratuitas, que deverão ser solicitar com antecedência mínima de 3 horas em relação ao horário de partida do ponto inicial da linha do serviço de transporte, desde que lugares vagos no ônibus, bem como conforme quadro de horários determinado e aprovado pela ANTT.

Obs: Benefício disponível apenas para compras nos pontos de vendas FÍSICOS. Não válido para compras online.